Almanaque umdoistres

Novembro 2016

Todas as publicações em  Almanaque umdoistres são de textos e imagens que circulam diariamente entre as milhares de Caixas de Entrada de grupos que compartilham e-mails entre si. O endereço umdoistres@umdoistres.com.br, desde 2003 faz parte de incontáveis Catálogos de Endereço no Brasil e exterior. Nada publicado aqui é de autoria de nossa equipe - salvo quando assinado.

      Novembro2016  Outubro2016 Setembro2016 Agosto2016 Julho2016 Junho2016 Maio2016 Abril2016  Março2016  Fevereiro 2016  Janeiro 2016

              Almanaque 2015  Almanaque 2014   Almanaque 2013  Almanaque 2012  Almanaque 2011   Almanaque 2010   Almanaque 2009   Almanaque 2008  


Imagens chocantes e impressionantes do conflito na Síria
https://www.youtube.com/watch?v=gvEHs68Lhuo 

Conflito na Síria - Ataque impressionante contra terroristas da Al Nusra
https://www.youtube.com/watch?v=UgrXXP1hlWU 

Conflito na Síria - Arma anti-aérea contra snipers terroristas
https://www.youtube.com/watch?v=JoaAllziagU

F 18 abatido por um míssil SAM
https://www.youtube.com/watch?v=IyaXNYOc2-c

Lançamento do impressionante Míssil Balístico Intercontinental russo, TOPOL
https://www.youtube.com/watch?v=57e9B-ffVjQ 

Rússia realiza o grande exercício estratégico "Cáucaso 2016"
https://www.youtube.com/watch?v=vI8b5jpgzJQ 

Rússia divulga maior míssil nuclear de sua História RS-28 Sarmat já é apelidado de ‘Satã 2’
https://www.youtube.com/watch?v=ePZR30-siJ8 

 

Empresários, políticos e seus familiares vão poder repatriar e legalizar
dinheiro escondido no exterior, inclusive nos casos da Lava Jato 

 

LUIZ FLÁVIO GOMES - Doutor em Direito Penal pela Universidade Complutense de Madri – UCM e Mestre em Direito Penal pela Universidade de São Paulo – USP. Diretor-presidente do Instituto Avante Brasil. Jurista e Professor de Direito Penal e de Processo Penal em vários cursos de pós-graduação no Brasil e no exterior. Autor de vários livros jurídicos e de artigos publicados em periódicos nacionais e estrangeiros. Foi Promotor de Justiça (1980 a 1983), Juiz de Direito (1983 a 1998) e Advogado (1999 a 2001). Estou no www.luizflaviogomes.com


““Está vencendo o prazo para que os delinquentes endinheirados (plutocracia criminosa) regularizem seus bens mandados para o exterior ilicitamente (em regra, para paraísos fiscais como Suíça, Bahamas, Panamá etc.). A lei de repatriação no Brasil foi aprovada em janeiro/16.

A repatriação de bens é algo corriqueiro na experiência internacional. Mudam as regras e as condições conforme cada país e cada momento histórico. Mas o direito penal, de qualquer modo, no mundo todo, trata as castas e os privilegiados de forma sempre diferenciada.

O governo já arrecadou com a regularização mais de R$ 7 bilhões de reais. A primeira lei que cuidou do tema já gerou muita polêmica, mas nada se compara em termos de despudor com o projeto de lei que está sendo discutido pelo novo bloco de poder (PMDB, PSDB, DEM etc.), que deve aprovar o novo texto com o possível apoio até mesmo do lulopetismo.

O corrupto lulopetismo caiu de paraquedas na presidência do clube das castas cleptocratas e lá permaneceu durante 13 anos (surrupiando o dinheiro público). Mas quem realmente mantém a linhagem escravocrata das regras do jogo da cleptocracia é o novo bloco de poder, que já tem mais de 500 anos de experiência na arte de roubar o dinheiro público e ficar impune.

Desse novo bloco de poder podemos esperar tudo, porque eles são institucionalmente mais fortes e moralmente tão depravados quanto os exploradores coloniais.

O que estão querendo aprovar?
1. novo prazo para a regularização dos bens no exterior;
2. uma equação fiscal mais favorável aos delinquentes, que pagariam menos impostos (menos que os 22% já previstos na lei vigente);
3. revogação do artigo que proíbe a repatriação em favor de agentes públicos e políticos e seus familiares;
4. mais flexibilização em relação à origem dos bens, o que permitiria repatriar ativos envolvidos inclusive com corrupção;
5. isso afeta a Lava Jato intensamente (porque deixará de recuperar grande parcela do dinheiro desviado);
6. a nova lei é descaradamente uma lavagem oficial de dinheiro, prevendo-se uma anistia penal ampla.

Por que todo mundo está querendo regularizar ativos ilícitos mandados para o exterior?

Porque os países estão fartos de tanta evasão fiscal e estão querendo controlar os trilhões de dólares que estão depositados em paraísos fiscais.

O Congresso brasileiro aprovou recentemente a Convenção Multilateral sobre Assistência Mútua Administrativa em Matéria Tributária, que foi assinada pelo Brasil durante Reunião de Cúpula do G-20, em Cannes, no ano de 2011.

A Convenção Multilateral constitui hoje o instrumento mais abrangente no âmbito da cooperação tributária internacional para combater a evasão fiscal e o planejamento tributário agressivo.

A entrada em vigor da Convenção permitirá ao Brasil o acesso a informações tributárias e financeiras de quase uma centena de países e jurisdições, com destaque para os modelos de intercâmbio automático de informações: o “Padrão para o Intercâmbio Automático de Informações Financeiras para Fins Tributários” (“Standard for Automatic Exchange of Financial Account Information in Tax Matters”), que permitirá à Receita Federal receber dados financeiros de interesse de todas as jurisdições signatárias, inclusive as de tributação favorecida; e o relatório de operações de grupos multinacionais (“Country by Country Reporting”), que incluirá as informações sobre as operações globais de tais grupos, sempre que possuam filiais no País (ver fazenda.gov.br).

Assim, com a internalização da Convenção Multilateral, o Brasil estará ampliando a sua rede de intercâmbio de informações e fortalecendo sua imagem internacional quanto à transparência em matéria tributária, confirmando seus compromissos perante o G20 e o Fórum Global sobre Transparência e Intercâmbio de Informações para Fins Tributários (ver fazenda.gov.br).

A Associação dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco) ameaça acionar o Ministério Público e o Supremo Tribunal Federal (STF) caso o Congresso Nacional aprove a flexibilização da lei de repatriação que permite a regularização de dinheiro enviado ilegalmente ao exterior. Em nota de repúdio, a Unafisco classifica de desfaçatez a tentativa de parlamentares de aprovar mudanças na lei permitindo a redução da tributação que é cobrada pela Receita em troca da regularização do dinheiro não declarado.

Os políticos, se aprovarem o novo texto como anunciado, estarão legislando em causa própria. Estão aprovando uma lei de anistia penal em benefício deles mesmos (e de seus familiares). A imoralidade é evidente.

Considerando-se o total desprestígio dos políticos assim como a contaminação de todos os poros do corpo social pelos princípios da desorganização, da anomia e da anaxia, é evidente que sua postura deveria ser outra, se quisesse restabelecer o princípio de autoridade e da moralidade.

Em lugar de buscar mais confiança o Parlamento brasileiro distingue-se pela prática do mal vil, desprezível, pelo lodo, pela baixeza, pela degradação e pela corrupção. A imoralidade se espalha pelos quatro cantos, expondo em suas vísceras toda casta de vícios que exasperam a cada dia mais a indignação da população brasileira.

Se a sociedade civil nada fizer, novos desmandos vão se consumar. Restaria contar com o STF para julgar a inconstitucionalidade dessa lei de anistia. Mas o STF vai ter coragem de enfrentar as castas corruptas intocáveis?

7) Ajustes nas nulidades penais. O melhor antídoto contra as nulidades penais é o sistema da Justiça criminal negociada. Hoje isso já acontece com o instituto da colaboração premiada (da qual a delação premiada é uma espécie). O sistema foi adotado pela metade. Precisa ser aprofundado. Depois de cumprido o devido processo legal (produção de provas com contraditório, ampla defesa etc.), deve-se estimular o acordo de conformidade (negociação sobre a pena, o regime etc.).

8) Responsabilização dos partidos políticos e criminalização do caixa 2. Partidos políticos que recebem propinas devem ser eliminados do jogo político. A (nova) criminalização do caixa 2 é absolutamente indispensável. Hoje já é delito (Código Eleitoral, art. 350). Mas isso é (relativamente) certo em relação ao candidato que presta contas perante a Justiça Eleitoral. Do crime de caixa 2, no entanto, muita gente participa. Daí a necessidade de uma tipificação autônoma, com esse nome. E que essa criminalização não dê ensejo a uma anistia ampla, geral e irrestrita dos agentes do sistema político-empresarial brasileiro. Na Câmara dos Deputados isso já foi tentado. Ninguém assumiu a autoria. Criança sem mãe. Uma anistia desse tipo seria uma pouca-vergonha e geraria consequências sociais imprevisíveis.

9) Prisão preventiva para assegurar a devolução do dinheiro desviado. Há dezenas de medidas cautelares que devem ser acionadas (desde a investigação e, sobretudo, após o recebimento da denúncia) para promover a devolução do dinheiro desviado (assim como impedir a continuidade delitiva). Todas as medidas cautelares deveriam ser prioritariamente decididas na Audiência Protetiva de Direitos (bloqueio de bens, suspensão da atividade pública, proibição de contratação com o poder público, regime domiciliar com tornozeleira etc.).

10) Provas ilícitas colhidas de boa-fé. O efeito prático dessa medida seria pequeno, sobretudo diante da controvérsia que geraria. Em seu lugar, por ora, outras medidas para se garantir a certeza do castigo são muito mais urgentes. Desde logo, o fim do foro privilegiados nos tribunais (porque o STF não foi feito para ser juízo de 1º grau). Haverá muito mais certeza do castigo com o instituto do informante de boa-fé (whistleblowing).

Temos que dotar o sistema jurídico brasileiro de eficácia. Essa eficácia passa pelo império da lei, que pressupõe o empoderamento dos órgãos da Justiça. Justiça eficaz significa alto custo para o crime. Quando o custo do crime é maior que o benefício, surge a eficácia preventiva do sistema. Para as castas poderosas o custo do crime no Brasil sempre foi nulo ou baixo. A Lava Jato está impondo alto custo das classes dirigentes. Esse é o caminho a ser seguido, dentro da lei.

[

As 20 marcas mais valiosas do mundo em 2016
Saiu a lista de marcas mais valiosas de 2016 elaborada pela revista Forbes. Confira.

1 Apple

US$ 154,1 bilhões

2 Google

US$ 82,5 bilhões

 3 Microsoft

US$ 75,2 bilhões

4 Coca-Cola

US$ 58,5 bilhões
 

5 Facebook

US$ 52,6 bilhões

6 Toyota

US$ 42,1 bilhões

7 IBM

US$ 41,4 bilhões

 8 Disney

US$ 39,5 bilhões

9 McDonald's

US$ 39,1 bilhões
 

10 GE

US$ 36,7 bilhões

11 Samsung

US$ 36,1 bilhões

12 Amazon

US$ 35,2 bilhões

13 AT&T

US$ 32.6 bilhões 

14 BMW

US$ 28.8 bilhões

15 Cisco

US$ 28.4 bilhões

16 Oracle

US$ 28 bilhões

17 Intel

US$ 27,7 bilhões

 

18 Nike

US$ 27,5 bilhões

19 Louis Vuitton

US$ 27,3 bilhões

20 Mercedes-Benz

US$ 26 bilhões

Fonte :http://noticias.bol.uol.com.br/bol-listas/as-20-marcas-mais-valiosas-do-mundo-em-2016.htm
 

23 fobias que você talvez não conheça
 

http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/bol-listas/2015/08/06/23-fobias-que-voce-talvez-nao-conheca.htm4