Almanaque umdoistres

 Abril 2015

Todas as publicações em  Almanaque umdoistres são de textos e imagens que circulam diariamente entre as milhares de Caixas de Entrada de grupos que compartilham e-mails entre si. O endereço umdoistres@umdoistres.com.br, desde 2003 faz parte de incontáveis Catálogos de Endereço no Brasil e exterior. Nada publicado aqui é de autoria de nossa equipe - salvo quando assinado.

           Abril 2015   Março 2015   Fevereiro 2015   Janeiro 2015  

 Almanaque 2014   Almanaque 2013  Almanaque 2012  Almanaque 2011   Almanaque 2010   Almanaque 2009   Almanaque 2008  

Fotografia computadorizada, pintada por artistas Chineses, Dai Dudu, Li Tiezi y Zhang An, pintura a óleo, 2006.
Esta pintura é verdadeiramente surpreendente. Mais surpreendente ainda, por sua tela ter sido computadorizada.
Passe o cursor do mouse por cima das pessoas e o programa dirá quem é cada um deles. Se clicar sobre a pessoa, terá sua biografia e história. Quando a história aparecer, do lado esquerdo, há a possibilidade de traduzir o texto para vários idiomas. Escolha o seu preferido e boa leitura!
http://cliptank.com/PeopleofInfluencePainting.htm

Como separar a gema da clara do ovo. Não entendemos a língua falada, mas a mensagem é óbvia! Vale a pena acompanhar.
http://bbs.wenxuecity.com/cooking/1160651.html

Fantástico mesmo!
http://www.youtube.com/embed/XMkaBN3x5AM

Pilhagem no Carf: mais uma roubalheira cleptocrata de bilhões
Luiz Fávio Gomes, jurista e diretor-presidente do Instituto Avante Brasil. Estou no LFG.com.br e no twitter: @professorlfg

Operação Zelotes (da PF e MPF) revela mais uma roubalheira cleptocrata (porque emanada das bandas podres das classes dominantes, formada pelos donos econômicos e financeiros do poder, governantes e frações influentes). Poderia chegar a R$ 19 bilhões (o dobro da mais pessimista estimativa feita por Youssef para a bandalheira da Petrobras). Os investigados que, se condenados, podem receber o título de "bandidos quadrilheiros da república" (dado por ministros do STF aos condenados no caso mensalão) são, dentre outros: Grupo Gerdau, Banco Safra e Hyundai/Caoa (citados pelo O Globo: 27/3/15); Bradesco, Santander, BTG Pactual, Bank Boston, Ford, Mitsubishi, BR Foods, Petrobrás, Camargo Corrêa, Light, Grupo RBS, Embraer, Coopersucar, Cervejaria Petrópolis, Évora, Marcopolo, Nardini Agroindustrial, Ometto, Viação Vale do Ribeira, Via Concessões, Dascan, Holdenn, Kaneko Silk, Cimento Penha e CF Prestadora de Serviços foram mencionados pelo Estadão: 28/3/15.

Várias potentes empresas dos setores automobilístico, industrial, agrícola, siderúrgico e bancário (que são os verdadeiros donos do poder do Estado) teriam subornado conselheiros ("julgadores") do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, do Ministério da Fazenda), suspeitos de terem recebido "carf-propinas" (de 1% a 10%) para julgarem recursos favoravelmente às corruptoras (cancelamento ou redução de sanções fiscais decorrentes de sonegação), livrando-as do pagamento de bilhões ao erário público. Até o final de fevereiro, Gerdau era presidente da Câmara de Políticas de Gestão e Planejamento do Governo Dilma. Somente em 9 processos o prejuízo constatado já é de R$ 6 bilhões. Estariam também envolvidos advogados, consultores, funcionários, conselheiros e ex-conselheiros do Carf ("Os maiores ladrões - já dizia o Padre Manuel da Costa, suposto autor do livro A arte de furtar, de 1652 - são os que têm por ofício livrar-nos de outros ladrões"). Como funcionava o esquema?

Consoante O Globo: 28/3/15, o esquema tem 5 etapas: (1) Ex-presidente do Carf tinha a pauta de votação do Conselho com antecedência e identificava empresas em situação mais complicada com o Fisco; (2) Emissários faziam contatos com represente das empresas devedoras, em alguns casos, com os próprios empresários, e ofereciam ajuda para reduzir ou extinguir as dívidas; (3) Em alguns casos, a venda das decisões era negociada em etapas. Primeiro vendia-se um pedido de vista como prova de que o conselheiro é cúmplice. Depois, a decisão final do processo; (4) Empresas se livraram de grandes dívidas por meios, aparentemente, legais. As decisões estariam amparadas na legislação; (5) Já foram identificados desvios de R$ 5,7 bilhões a partir de extinção ilegal de dívidas. Mas as fraudes podem chegar a R$ 19 bilhões.

Se comprovadas as medonhas pilhagens fiscais noticiadas (a pilhagem fiscal bem como a corrupção é cleptocrata quando praticada pelas classes dominantes como meio ilícito para acumularem mais riqueza), não há dúvida que todas as atuações fraudulentas contra o fisco devem ser anuladas (Lei 9.784/99), além de processados todos os envolvidos (administrativa, civil e penalmente). Ao Ministério Público compete, ademais, propor as ações civis correspondentes aos danos morais. Ao juiz do caso cabe quebrar o sigilo do inquérito/processo ("A luz do sol é o melhor desinfetante", dizia o juiz americano Louis Brandeis).

Cartões postais - legendados - vistos de cima por drones, balões e aviões impressionam

Fonte: http://viagem.uol.com.br/album/bbc/2015/03/20/cartoes-postais-vistos-de-cima-por-drones-baloes-e-avioes-impressionam.htm?abrefoto=8

Câmera com fotos da 2° Guerra Mundial é encontrada em antiga trincheira

As fotos da câmera de um soldado que participou da Batalha das Ardenas, durante a 2° Guerra Mundial, foram recuperadas.  equipamento foi encontrado em um buraco que servia como trincheira para os soldados na época. Apesar da exposição do rolo do filme ao meio ambiente, os registros históricos ficaram preservados. O soldado Louis J. Archambeau, a quem a câmera pertencia, foi uma das mais de 89 mil vítimas da batalha.

Na sequencia imagens impressionantes e inéditas registradas pelos próprios soldados do Dia D.

Os desembarques da Normandia foram operações durante a invasão da Normandia pelos Aliados, também conhecida como Operação Overlord e Operação Netuno, durante a Segunda Guerra Mundial. No dia 6 de Junho de 1944 (chamado de Dia D), cerca de 100 mil soldados, com o apoio de 6 mil navios e 5 mil aviões, desembarcaram na costa da Normandia, França, abrindo uma nova frente de guerra no oeste. O assalto foi realizado em duas fases: uma aterragem de assalto aéreo de 24 mil britânicos, estadunidenses, canadenses e tropas livres de franceses aerotransportados pouco depois da meia-noite e um desembarque anfíbio da infantaria aliada e divisões blindadas na costa da França, com início às 6:30 da manhã. Havia também as operações de engodo montado sob os codinomes Operação Glimmer e Operação Tributável para distrair as forças da Alemanha nazista das áreas de pouso real. A operação foi a maior invasão anfíbia de todos os tempos, com o desembarque de mais de 160 mil tropas em 6 de junho de 1944. 195.7004 pessoas das marinhas navais e mercantes aliadas em mais de 5.000 navios foram envolvidos na operação. Soldados e material foram transportados a partir do Reino Unido por aviões carregados de tropas e navios, desembarques de assalto, suporte aéreo, interdição naval do Canal Inglês e fogo naval e de apoio. Os desembarques ocorreram ao longo de um trecho de 80 km na costa da Normandia dividida em cinco setores: Utah, Omaha, Gold, Juno e Sword. Confiram as imagens, algumas legendadas!

,

Fonte texto: http://pt.wikipedia.org/wiki/Desembarques_da_Normandia