Almanaque umdoistres

Abril 2013

Todas as publicações em  Almanaque umdoistres são de textos e imagens que circulam diariamente entre as milhares de Caixas de Entrada de grupos que compartilham e-mails entre si. O endereço umdoistres@umdoistres.com.br, desde 2003 faz parte de incontáveis Catálogos de Endereço no Brasil e exterior. Nada publicado aqui é de autoria de nossa equipe - salvo quando assinado.

            Abril 2013   Março 2013   Fevereiro 2013   Janeiro 2013

  Almanaque 2012  Almanaque 2011   Almanaque 2010   Almanaque 2009   Almanaque 2008  

Entenda porque o papel nunca morrera. Muito legal!
http://vimeo.com/61275290

Esse vídeo mostra a excelência do voo livre, técnico...
http://vimeo.com/41206514

História da Pascoa pelas crianças.
http://youtu.be/PA4yxr0ABCM

Hugo Chaves incitando o povo a perseguir as religiões. Esta é a "democracia" bolivariana.
http://www.youtube.com/watch?v=dbASIhQMFTc&feature=player_embedded#!


Chaves por Arnaldo Jabor
http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-da-globo/v/com-morte-de-chavez-ditadura-pode-nascer-na-venezuela-diz-arnaldo-jabor/2339035/

QUEM É O BANDIDO?



Lembremo-nos, todos, daquela lenda da raposa que queria comer todas as galinhas do galinheiro, sem dar tempo para que ocorresse nova safra; nem queria saber que as galinhas vinham dos ovos e que isto leva algum tempo; queria porque queria comer todas as galinhas; de repente, viu-se a raposa sem ter o que comer e acabou definhando pela própria imprevidência e insensatez.

Vemos na televisão todos os dias a indignação de policiais pelos mais variados e horrendos crimes que se possa cometer contra a pessoa humana. A mídia passa-nos a impressão de que os bandidos é que são as vítimas e que, em tudo onde a polícia entra para trabalhar, ela já está errada de antemão. Antes de qualquer verificação sensata, transparente, criteriosa, racional e com provas sólidas a mídia já bateu no traseiro dos policiais. Passados alguns dias, as coisas começam a ter outra versão, outros significados, outros rumos, outros responsáveis.
Mas a faca na carne já fez o estrago indelével. Tenho conhecimento de policiais que, no mais lídimo cumprimento do dever, tiveram funestas consequências para o resto de suas vidas; é só encomendar uma estatística de quantas viúvas e órfãos de policiais existem no país; de quantos policiais estão presos porque mataram bandidos que mataram e espancaram tanta gente; de quantos policiais estão inválidos, doentes e incapacitados para o trabalho, numa indigência que deveria revoltar a todos; de quantos policiais abandonaram a profissão pelo desencanto e decepções sem fim; de quantos policiais tornaram-se bandidos para serem tratados com mais dignidade. Estas estatísticas fariam nós todos
tremermos pelo inusitado da situação e pela frouxidão das autoridades em consentir no apodrecimento induzido de uma das mais necessárias instituições, em detrimento do bem público e do privado.

Voltando à lenda da raposa, estamos assistindo o desmantelamento de nossa polícia, pois que nenhum jovem de boa saúde moral e mental interessará em seguir nesta profissão. A família barrará. E os poucos que restarem não serão confiáveis. E quem sofrerá com isto? Toda a sociedade. Evidentemente que não se defende, aqui, a ideia de que todos os policiais são santinhos imaculados e benzidos. Sabemos que é grande o contingente de péssimos e desumanos profissionais que atuam na área policial. Mas não se pode aprovar o nivelamento de nossa polícia com o que há de mais abjeto e desclassificado neste Brasil. Polícia é coisa muito séria, e necessita da mais ampla colaboração da sociedade para o pleno exercício de sua função. Pare por uns momentos e pense no cotidiano de um policial nos grandes centros, notadamente Rio e São Paulo. Pense no inferno que é a vida destes trabalhadores da vigilância onde o coronelismo argentário, o império dos narco-milionários e a lei do mais esperto fazem as regras e os costumes da região. Pense, como filho, quando o pai deixa a família à noite para defender a sociedade dos bandidos e sanguinários, mafiosos e estupradores, pistoleiros e vigaristas, filhinhos de papai e drogados. Ainda me causa frêmito e melancolia o choro de um garoto de 11 anos, ao chegar ao meu consultório, trazendo o pai policial que foi atingindo por uma bala
bandida num dos olhos e com graves consequências visuais e neurológicas. Para podermos dormir em paz, trabalhar em paz, divertir em paz e ter o direito de ir e vir em paz, precisaremos muito de uma instituição policial severamente preparada, corretamente remunerada e moralmente elevada.
O bandido ainda não é a polícia.

Por Renzo Sansoni, em 1998

10 Dicas de Marketing Pessoal

Funcionários dedicados e eficientes muitas vezes não conseguem uma promoção. Por quê? Porque eles estão fazendo tudo certo, mas estão esquecendo do marketing pessoal. Vamos então a uma listinha, dos 10 fatores que compõem o bom marketing pessoal:

1-liderança. Antes mesmo de ter um cargo, um funcionário pode influenciar seus colegas, muito mais do que é influenciado por eles. Ele se torna um formador de opinião, e empresas percebem isso rapidamente.
2-solidariedade. Alguns funcionários param o que estiverem fazendo quando são consultados por seus colegas, sobre assuntos de trabalho ou mesmo que nada tenham a 3-ver com o trabalho. Outros baixam a cabeça e só fazem o que têm que fazer.
4-visão. É alguém entender o que esta fazendo e porque está fazendo. E sugerir pequenas mudanças que podem melhorar o próprio trabalho e o trabalho dos colegas.
5-espírito de equipe. É oferecer ajuda aos colegas, sem ser solicitado. E se preocupar com que o trabalho dos outros também saia bem feito.
6-maturidade. É saber solucionar conflitos sem provocar mais conflitos. É saber apaziguar discussões entre colegas, e propor soluções que os outros consideram apropriadas.
7-integridade. É fazer o seu trabalho sem prejudicar a ninguém. É não ser excessivamente ambicioso, nem querer atropelar quem aparece pela frente.
8-visibilidade. É se oferecer para fazer uma apresentação. É ser o primeiro a erguer a mão quando se precisa de um voluntário para uma tarefa.
É se apresentar para compor um grupo de trabalho ou para ajudar a implantar um programa novo.
9-empatia. É saber elogiar o trabalho de um colega e reconhecer os méritos dos outros. Quem elogia é elogiado. Quem só critica sempre acaba sendo criticado.
10-otimismo. É conseguir enxergar o lado positivo de qualquer situação, principalmente daquelas que parecem ruins. É ser bem-humorado e aceitar eventuais críticas. Pessoas assim ajudam a criar um ambiente de trabalho saudável.
paciência. É saber a hora certa de pedir uma oportunidade, ao invés de ficar reclamando que a empresa não dá oportunidades.

Quem tem no mínimo 7 desses 10 fatores, dificilmente deixa de decolar na carreira. Marketing pessoal não é criar uma imagem vazia. É, além de apresentar bons resultados, saber se sobressair sem ser chato e conseguir simpatias sem ser puxa-saco.

Fonte: forum.angolaxyami.com


 

MAIS UMA CONTRA O BRASILEIRO

Continua a farra (e a irresponsabilidade perante a nação) de se aposentar juízes que cometem desvios profissionais. O último escândalo se deu no Piauí, segundo o Jornal FOLHA DE SÃO PAULO, onde um juiz foi aposentado, acusado de beneficiar advogados. Eu gostaria muito de saber se este juiz terá a aposentadoria total, gorda e imerecida.

Se todos os brasileiros são iguais perante a Lei, por que só os juízes são aposentados, compulsòriamente, quando cometem infrações no exercício do cargo? Quem foi o idiota que concebeu, e aprovou, um disparate como este?

Isto é um tremendo crime lesa-nação; autêntico entulho autoritário que não pode continuar ofendendo os brasileiros trabalhadores e pagadores de impostos.

Então se o médico erra no seu trabalho, lesando o paciente, ele não teria o direito de ser aposentado por seus pares, recebendo gorda aposentadoria?

Ah, magistrados desiguais e corporativistas. Deste jeito, e com essa blindagem, vocês só atrapalham o desenvolvimento da cidadania responsável no Brasil.

Logo vocês que deveriam ser melhores guerreiros da defesa, e aplicação, da LEI para todos.

Está certo o Ministro Joaquim Barbosa quando afirma:

HÁ MUITOS JUÍZES PARA COLOCAR PARA FORA. ESTE CONLUIO DE JUÍZES E ADVOGADOS É O QUE HÁ DE MAIS PERNICIOSO.

Por Renzo Sansoni

Você pode ser um diabético futuramente sem saber

Se você tem alto nível de açúcar no sangue, fique atentos, poderá ter o que chamamos de pré-diabetes e assim ter de 15 a 30% de chances de desenvolver diabetes tipo II.
Nos Estados Unidos no CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) foi realizado um estudo que aponta que quase 90% dos voluntários que se submeteram a então pesquisa tinham a condição de já serem diabéticos e sequer sabiam. Apenas 7% em 2005/2006 sabiam e em 2009 a 2010 apenas 11% dos participantes (adultos com 20 anos ou mais) que tinham pré-diabetes sabiam. No Brasil, estima-se que a pré-diabetes afete cerca de 12% da população.


Mais informações: Morbidity and Mortality Weekly Report (site em inglês)

ESCOLAS MÉDICAS: DUAS CENTENAS


O Brasil já conta com 200 Faculdades de Medicina. Só precisa de 60. O restante é para dar polpudos, e criminosos, lucros para empresários mancomunados com o Governo. Que se dane a qualidade de atendimento à população, uma vez que a turma de cima tem livre acesso aos melhores hospitais e médicos de São Paulo, BH e Rio de Janeiro.

"Para fazer grandes coisas não é preciso estar acima dos homens, é necessário estar com eles".
(Montesquieu)


O Brasil atingiu o recorde histórico de duzentas escolas médicas. Poderiam ser mais duas, não fosse a decisão
corajosa do ministro Aloisio Mercadante adotando novos critérios para o MEC autorizar cursos de medicina
– Portaria Normativa nº 2 de 1º de fevereiro de 2013 - e o trabalho incansável e idealista do secretário da SERES,
Jorge Messias, cumprindo com rara capacidade as novas regras, na busca pela qualificação necessária, tão almejada e
defendida pela Comissão de Especialistas do Ensino Médico, presidida pelo Prof. Dr. Adib Domingos Jatene, da qual fazemos parte.

O sinal de largada foi dado pelo encerramento do curso de medicina da UNINCOR em Belo Horizonte-MG, por apresentar deficiências crônicas e irreparáveis, e o indeferimento final para outro pleiteado pelo ITPAC, em Garanhuns-RE em não preenchendo os requisitos mínimos agora estabelecidos.

Merece destaque o fato de, pela primeira vez na história do ensino médico em nosso país, acontece o fechamento
de curso de medicina, na defesa da qualidade para a formação de profissionais médicos. Pedidos de outras sete IES
para novos cursos de medicina foram indeferidos. Esperamos que essa norma de conduta permaneça de maneira rigorosa e sem permitir injunções políticas ou financeiras.

Da mesma forma, torna-se importante, agora, que as novas regras sejam aferidas nas duas centenas de escolas já
em funcionamento, seguindo o exemplo dos Estados Unidos e Canadá em 1906, que resultou no famoso Relatório Flexner, visto que o ensino médico naqueles países beirava o caos propiciando todas as formas de corrupção.
Eram 160 faculdades de medicina, quase todas mal equipadas, sem projeto pedagógico regulamentado, corpo docente aquém das necessidades. Existia a comercialização desenfreada do ensino médico. A preocupação era com o lucro e não com a qualidade, diplomando anualmente milhares de médicos despreparados e bem acima das necessidades.

Por essas razões, Abraham Flexner foi contratado pela Fundação Carnegie para efetuar um estudo sobre as escolas médicas em atividade. Durante quatro anos, de 1906 a 1910 cada uma das 160 escolas foi visitada e avaliada por ele. Ao final, um extenso e minucioso relatório foi elaborado e publicado no Boletim nº 4 da Fundação. Tornou-se famoso porque foi seguido à risca e levou 23 anos para que os trabalhos fossem concluídos.

Como resultado, 94 escolas foram literalmente fechadas e para as demais 66 estipularam-se normas de funcionamento,
como a obrigatoriedade da vinculação a uma Universidade ou a Hospitais de ensino previamente qualificados. A criação do "State Board" fez parte desse processo e até hoje existe, para aferir a capacitação técnica do aluno após a graduação. A licença para a prática médica na América do Norte passou então, a ser concedida somente após a aprovação do médico nesse exame.

Estamos confiantes e novamente animados para participar da Comissão de Especialistas, que tem sido prestigiada e respeitada pelo Ministro da Educação, o qual vem mantendo reuniões periódicas para debater os problemas existentes
e tomar decisões conjuntas. Reascendeu a luz no final do túnel.

Contudo, será de fundamental importância que o Conselho Federal de Medicina baixe uma Resolução estabelecendo o
Exame de Proficiência Médica, a exemplo da OAB, para os novos médicos poderem, se aprovados, registrar seus diplomas e exercerem com capacidade comprovada a profissão que escolheram em benefício de toda população brasileira.


Por Prof. Dr. Antonio Celso Nunes Nassif, 79, doutor em Medicina pela UFPR, ex. presidente da Associação Médica Brasileira, membro da Comissão de Especialistas do Ensino Médico do MEC 30/03/2013



Fotos Coloridas do III REICH - a parte podre da história contemporânea (Parte 1)

Impressionante a qualidade das fotos tiradas há cerca de 70 anos pela revista LIFE.
As fotos foram feitas por um fotógrafo da Revista Life entre 1939 e 1940 em Berlim, e ficaram desaparecidas por mais de 50 anos, pois esse fotógrafo americano, desapareceu logo no início do conflito, juntamente com a sua máquina fotográfica marca Rolleiflex e esses dispositivos originais (utilizados na época para reprodução em revistas), a maioria em 6 x 9 polegadas, (vejam os detalhes das molduras originais dos cromos).
Esses cromos foram achados por uma enfermeira alemã de um hospital em Berlim, que os guardou todos esses anos.
Após a sua morte, sua filha os achou e devolveu ao atual editor americano que tem os direitos da marca Life Magazine, que não é mais publicada desde o  início dos anos 70.
Observem interessante o fusca em 1939, um fantástico avanço tecnológico na época.